Marcas continuam crescendo no Instagram

Facilidade de uso, rapidez e comunicação direta feita através de imagens: é isso que procuram aqueles que se relacionam com as principais marcas brasileiras nas redes sociais. Essa é uma das conclusões da mais recente avaliação das Top 100 (em volume de interações) empresas nacionais presentes no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube, feita pelo Núcleo de Inovação em Mídia Digital (NiMD) da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) em parceria com o Socialbakers, o relatório "mídias sociais 360° - #ms360faap".

O estudo, que traz resultados trimestrais, mostrou um crescimento acentuado do Instagram em outubro, novembro e dezembro de 2016, especialmente na comparação com o mesmo período de 2015. Naquela época, a média de novos seguidores era de 78.541. Em 2016 o número foi para 88.590. As marcas contavam com uma média de apenas 324.246 seguidores, em 2015. Em 2016, esse número chegou a 733.510 de média, com um crescimento superior a 120%.
"Entendemos que a simplicidade do Instagram, a agilidade do seu uso e, especialmente, a comunicação feita primordialmente por imagens, em contraponto ao texto, estão fazendo com que esta plataforma ganhe cada vez mais relevância junto aos consumidores", explica o professor Thiago Costa, coordenador da pós-graduação em Comunicação e Marketing Digital da FAAP e um dos pesquisadores do projeto #MS360FAAP.

E-Commerce melhora atendimento no Facebook
No relatório imediatamente anterior, relativo aos meses de julho, agosto e setembro de 2016, as respostas das empresas do setor de E-Commerce ao consumidor, via Facebook, levavam, em média, 22 horas e 14 minutos. Já nos três meses seguintes, esse tempo baixou para duas horas e 44 minutos.
"Com a Black Friday e as compras de Natal, as empresas tiveram um aumento no volume de vendas e, consequentemente, nos atendimentos. Então precisaram se preparar melhor e responder com mais agilidade, o que se tornou algo extremamente necessário para um consumidor cada vez mais imediatista", diz o professor Eric Messa, coordenador geral do Núcleo de Inovação em Mídia Digital da FAAP.
Vale destacar que, no último trimestre de 2015, o tempo de resposta médio do setor de E-Commerce foi de 21 horas e 10 minutos.

YouTube também cresce
A plataforma de vídeo vem ganhando cada vez mais espaço no relacionamento das marcas com seus consumidores. O crescimento em um ano é espantoso. No primeiro trimestre de 2016, as Top 100 marcas tinham uma média de 36.313 inscritos em seus canais. Este número nos últimos três meses do ano passado chegou à média de 70.814.
Como consequência direta do aumento no número de inscritos nos canais, houve aumento também na média de visualizações em cada vídeo. Em outubro, novembro e dezembro de 2016, os vídeos receberam uma média de 321.557 views. Nos primeiros meses de 2016 -- janeiro, fevereiro e março -- o número médio era de 205.678 visualizações. E, a titulo de comparação desse crescimento, no último trimestre de 2015 o número de views alcançava somente 149.330.

Interações no Twitter oscilam
No ano de 2016, as interações das marcas no Twitter chamaram atenção pela  oscilação que houve entre os trimestres. No primeiro, a média foi de 19.347, subindo  para 25.363 no segundo trimestre e chegando a 29.408 no terceiro, mas com queda  para 23.834 nos últimos três meses do ano.

Outros destaques do estudo Mídias Sociais 360°:
O setor com mais interações no Facebook é o de Mídia/Notícias com uma média de mais de 11 milhões. As marcas demoram em média 10 horas e 40 minutos para responder aos usuários no Twitter; os vídeos do YouTube dos canais das marcas têm, em média, 575 "gostei" e 83 "não gostei"; e 96.72% das fotos de marcas no Instagram não usam nenhum tipo de filtro.

Comece a construir seu site hoje!

A partir de 5 parcelas de R$192.00 apenas.